REQUERIMENTO DA PILCHA

I
Exmo. Michel Temer
Mui digno presidente
Permita que me apresente
Neste meu jeito campeiro
De gaúcho missioneiro
Da província de São Pedro
Pra direto, sem enredo
Fazer um requerimento
Pra mudar o regimento
E disso não peço segredo

II
O pedido que lhe faço
Nos toca profundamente
Pois fala da nossa gente
Da tradição da cultura
Saibam todos a essa altura
Que pra nós isso é sagrado
Orgulho de um estado
Que cruzou além fronteiras
E foi se abrindo porteira
Sendo hoje respeitado

III
Espero que me entendam
E eu explico presidente
O Rio Grande é diferente
E está aí a nossa razão
É o estado da federação
Que tem sua própria história
E num passado de glória
Terciou ferro, foi guerreiro
Foi guapo, foi o pioneiro
Na defesa desse chão
A fazer pátria e nação
E o Brasil mais brasileiro

IV
Primeiro foi o índio Sepé
Que defendeu nosso trono
Dizendo essa terra tem dono
E aqui ninguém põe a mão
Dando ai a conformação
De um povo altivo altaneiro
Do gaúcho missioneiro
Do cantor do repentista
Poeta e tradicionalista
Com a fibra de guerreiro

V
O Rio Grande que fez pátria
Um dia foi desafiado
Pelo império provocado
Taxando sua economia
E o gaúcho já respondia
Exigindo mais respeito
E vendo que não tinha jeito
Mesmo em frangalhos aos trapos
Com o ideal dos farrapos
Repôs o que era direito

VI
Essa façanha que falo
Que reproduz nosso hino
No Rio Grande até os meninos
Por ela tem devoção
E se expressa na tradição
Da maneira de vestir
E na ânsia de repetir
Toda aquela epopeia
Os versos tirados da ideia
Dão o caminho a seguir

VII
Nem por isso excelência
Nós somos separatistas
E este é um ponto de vista
Que nunca teve guarida
Já provamos nesta vida
O nosso patriotismo
Com bravura e heroísmo
Demarcando as fronteiras
Pra que a cobiça estrangeira
Se renda ao nosso atavismo

VIII
Em resumo presidente
Esta é a saga de um povo
E que agora vem de novo
Assim perante a nação
Evocando a tradição
Do uso da indumentária
Exigir uma plenária
Ou talvez uma reunião
Que tome uma decisão
Nos dando o consentimento
Que aqui no parlamento
Se respeite a tradição

IX
A indumentária e a “Pilcha”
Que no Rio Grande é oficial
Onde a Assembleia Estadual
Já aprovou como lei
E pelo tanto que sei
O congresso nacional
Pode assim fazer igual
Alterando o regimento
Este é o meu requerimento
Ao parlamento federal

X
Para que todos compreendam
O traje oficial gaúcho
É decente e não tem luxo
Bota, bombacha, guaiaca
Nem precisa usar faca
Camisa, casaco, colete e lenço
Para nós isso é consenso
E vestido desse jeito
Eu vou ganhando respeito
Para dizer o que penso

XI
O pedido está feito
E espero o deferimento
Assim, esse parlamento
Ganhará envergadura
E as diferentes culturas
Vindo de cada região
Aqui se apresentarão
Reconstituindo a história
Dos feitos de suas glórias
Unindo mais a nação

POMPEO DE MATTOS
Deputado Federal
PDT/RS