PORTO ALEGRE

I
Nas ruas deste Porto Alegre
Faço recanto me encontro e me encanto
Reconto a história, sou seu personagem
Faço homenagem, a quem te fez assim
Percorro a Azenha até o Bom Fim
Aguardo o sinal que se abre em mim
Vou tempo adentro caminhar no centro
Passear na rua que não tem praia
Mas que tem corpos dourados de minissaia
Cabelos molhados bem perfumados, soltos ao vento
Porto Alegre quem te fez alegre
Tu tens guardado nas tuas alamedas
Grandes veredas de uma cidade
E a tua vaidade que orgulha a história
Só quem tem memória pode relembrar
Ter sonhos e poder sonhar, e ao acordar
Te ver feliz cidade, matar a saudade
E Porto se Alegrar

POMPEO DE MATTOS
Deputado Federal
PDT/RS