MÃE

I
Mãe palavra sublime
Que aprendi a balbuciar
Meigo e doce paladar
Fonte de amor e de vida
Ó minha musa querida
Presente do verbo amar
Que eu aprendi a conjugar
No teu colo protetor
Essência pura do amor
Doce rainha do lar

II
Tu és a santa protetora
Do teu filho adorado
Que mesmo sendo um renegado
Para ti pouco importa
O amor de mãe tudo suporta
E não deixa um filho sozinho
Tu és a luz e o caminho
Que encurta as lonjuras
Sacrossanta criatura
Fonte de vida e carinho

III
Por isso é que te homenageio
Oh minha santa mãezinha
Querida fada madrinha
Que me deu a luz da vida
Tu jamais será esquecida
Por teu filho ou tua filha
Minha mulher maravilha
Tu és minha estrela guia
És tu o sol dos meus dias
Meu retrato de família

POMPEO DE MATTOS
Deputado Federal
PDT/RS