PDT

Pompeo de Mattos afirma que é necessário separar críticas políticas de ofensas pessoais

Decisão da Justiça do RS negou liminar para que o deputado excluísse postagem no Facebook

Atualizado Quarta-feira, 28 de Agosto de 2019 às 16:49- por Israel P. Siqueira

Em reportagem veiculada pela GaúchaZH, o deputado Pompeo de Mattos se manifestou sobre o caso Luciano Hang e afirma que é necessário diferenciar crítica política de ofensa pessoal. Confira a reportagem:

"O deputado federal Pompeo de Mattos (PDT-RS) afirmou, na noite desta terça-feira (27), que é fundamental separar críticas políticas de ofensas pessoais. A Justiça do RS negou liminarpara que uma postagem dele no Facebook que cita o empresário Luciano Hang, dona da Havan, fosse excluída.

— Quando é uma crítica política, de fatos, ela prospera, mas quando é uma agressão pessoal, tem razão da pessoa se defender. Se eu falar mal pessoalmente, a pessoa tem que ser processada. Tem que diferenciar o que é uma questão política, inerente à função — afirma o parlamentar.

Pompeo de Mattos também mostra preocupação com o teor das críticas feitas atualmente nas redes sociais. Deputado experiente — começou como vereador na cidade de Santo Augusto, em 1982 — ele afirma que o nível tem sido muito baixo.

— É sem precedente. O nível que chegou de agressão, de baixaria, eu nunca tinha visto. Eu ainda reuni elementos para mover alguns processos, mas não movi nenhum. Me poupei um pouco. Eu vi alguns casos em que as pessoas dizem horrores na internet mas, no mundo real, não sustentam aquilo.

Para o deputado, as prioridades da Câmara federal no segundo semestre estão em políticas de geração de emprego e renda, além da reforma tributária.

— O governo, a Câmara, o Congresso, têm que ter uma perspectiva de criar mecanismos de emprego e renda. Temos que nos movimentarmos para uma agenda que não é só paliativa, com ações estruturantes para viabilizar o emprego, como na questão habitacional. A geração de emprego e renda tem que ser urgente, é a maior chave do país hoje — ponderou."

Fonte: ZeroHora.

Compartilhe: |